sexta-feira, 29 de abril de 2011

Perereca em extinção é protegida por viaduto

Estado cria gestão ambiental para evitar degradação no entorno do Arco Metropolitano Obra, que começa em junho, vai desviar de hábitat natural de anfíbio

Um pequeno anfíbio foi capaz de paralisar parte das mais importantes obras do PAC (Programa de Acelera- ção do Crescimento) no Rio. Ao encontrar a minúscula Physalaemus soaresi (uma perereca de apenas 2 cm), em setembro de 2009, em um trecho de 4 km em Seropédica, o Arco Metropolitano não pôde simplesmente ignorar o animal. A solução encontrada pela secretaria de Obras, responsável pelo projeto, foi construir um viaduto ao custo de R$ 18 milhões para preservar o hábitat do bicho.
Trata-se de uma espécie que só vive numa área de 4,9 milhões de metros quadrados da Flonamax (Floresta Nacional Mário Xavier), em Seropédica, entre a rodovia Presidente Dutra e a antiga Rio-São Paulo – exatamente no trecho onde o Arco vai passar. E a perereca (apelidada pelos funcioná- rios da obra de Norminha, personagem poligâmica da atriz Dira Paes na TV) não está sozinha. Há ainda o peixe das nuvens (Leptolebias minimus), também endêmico e ameaçado de extinção. O projeto aguarda liberação do Ibama para entrar em processo de licitação. A previsão é de começar a fazer o viaduto em dois meses, no máximo. O governador Sérgio Cabral prometeu entregar a rodovia pronta em dezembro de 2012, durante fórum na Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro). Além do problema ambiental, a obra sofreu atraso devido às mais de 3,6 mil desapropriações e da descoberta de mais de 40 sítios arqueológicos. Plano diretor O valor total da obra, que une recursos dos governos federal pelo PAC e estadual, já passa de R$ 1 bilhão. A via vai ligar o complexo petroquímido de Itaboraí ao Porto de Sepetiba, em Itaguaí, desviando o trânsito pesado dos caminhões da região metropolitana.
A obra ganhou Plano Diretor Estratégico de Desenvolvimento no dia 18. O estudo cruza oportunidades e restrições ambientais da região, além de identificar problemas, como nos abastecimentos de água e de
energia. A finalidade é evitar a destruição ambiental e formação de assentamentos urbanos precários.

Fonte: METRO RIO COM AGÊNCIAS

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Spams trazem falsas informações sobre vencimento da CNH

Mensagem fala sobre o cancelamento automático do documento 30 dias após o vencimento.


Porto Alegre - O Detran/RS informa que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) pode ser renovada a qualquer tempo até 10 anos após o vencimento. São, portanto, falsas as informações que circulam na Internet sobre o cancelamento automático da CNH 30 dias após o vencimento, o que obrigaria o condutor a reiniciar todo o processo de habilitação. Trinta dias é, na verdade, o período em que o condutor pode circular com a CNH vencida enquanto providencia a renovação.

O spam alega que essa seria uma nova regra que foi criada juntamente com a Lei Seca e começou a valer em 1º de janeiro de 2011. Efetivamente, em julho de 2008, mesmo período da entrada em vigor da Lei Seca (junho de 2008), o Conselho Estadual de Trânsito (Contran) editou uma Resolução trazendo mudanças na carga horária e conteúdo dos cursos de formação de condutores.

A carga horária do curso teórico-técnico passou de 30 para 45h/aula e oferece maior detalhamento das matérias, incluindo itens relativos motocicletas e conseqüências da ingestão e consumo de bebida alcoólica e substâncias psicoativas. Já o curso prático passou de 15 para 20h/aula. No entanto, essas mudanças passaram a valer somente em 1º de janeiro de 2009 e foram amplamente divulgadas.

O e-mail também alerta para suposta norma do Contran que penaliza os condutores flagrados com o extintor de incêndio embalado em plástico. O extintor de incêndio é um dos equipamentos obrigatórios do veículo. É exigido que esteja em boas condições (sem ferrugem, amassado ou outros danos), dentro do prazo de validade e com o lacre íntegro. Deve ainda estar em local de fácil acesso, ter o selo do Inmetro e o indicador de pressão não pode estar na faixa vermelha. Não há menção na legislação a embalagem plástica.

Quando em dúvida sobre a veracidade das informações que circulam na rede, o Detran/RS recomenda ao cidadão visitar o site www.detran.rs.gov.br, que traz diversas informações sobre habilitação, veículos, infrações, ou entrar em contato pelo 0800.5103311 e (51) 3288.2000 (de celular e outros Estados), ou ainda pelo Fale Conosco do site.
Tags/ palavras-chave:

Asfalto da rodovia MT-251 se desfaz cinco meses após inauguração

Não é possível imaginar que uma estrada nova possa apresentar problemas, cinco meses depois de inaugurada. Mas isso está acontecendo em uma rodovia que liga a capital de Mato Grosso à Chapada dos Guimarães, lugar de muito movimento no feriado.



O asfalto está ‘novinho em folha’. Ao todo, 12,2 quilômetros da MT-251 já estão duplicados. Segundo a Secretaria estadual de Pavimentação e Transportes Urbanos, o custo da obra nesse trecho foi de cerca de R$ 1 milhão por quilômetro. Em menos de seis meses começaram a surgir os problemas. Em um ponto, o asfalto sumiu, mais adiante, o que sobrou parece estar derretendo.



Além dos buracos, outros trechos a pista estão em desnível. “Isso contribui para provocar acidentes. Acaba deteriorando os veículos”, diz um motorista.



“Do jeito que está, parece que eles fizeram a terraplanagem e jogaram uma capa de asfalto por cima, mais nada”, reclama outro motorista...



A duplicação dos 62 quilômetros, que ligam Cuiabá à Chapada dos Guimarães, teve início em novembro de 2009, mas a obra foi paralisada um mês depois, porque não tinha licença ambiental. O documento só saiu em junho de 2010, quando os trabalhos foram retomados.



Em novembro, o trânsito foi liberado na primeira etapa. O governo admite que também houve falhas na fiscalização. “São problemas que têm que ser sanados pela empresa. Nós temos ensaios em laboratórios, que detectam se está bem ou mal compactado. Se a fiscalização deixou passar, é um erro da fiscalização”, acrescenta Zenildo de Castro Filho, superintendente de obras e transportes do Mato Grosso.



A duplicação dessa rodovia é uma das obras de preparação para a Copa de 2014. Os motoristas esperam que os reparos e a conclusão da obra venham a tempo. A construtora informou que os problemas na obra serão corrigidos.

Governo inaugura rodovia AL-115 em Palmeira



Twitter
Seguindo o cronograma de inaugurações rodoviárias, o Governo de Alagoas entrega à população de Palmeira dos Índios a obra de restauração da rodovia AL-115, na próxima sexta-feira (29). A inauguração está marcada para as 14h30, com a presença do governador Teotonio Vilela Filho, do secretário de Estado da Infraestrutura, Marco Fireman, e do diretor-presidente do DER, Marcos Vital.
Executada pelo Departamento de Estradas de Rodagem de Alagoas (DER), a obra consiste em 12,7 km de rodovia restaurados no trecho entre o entroncamento da BR-316, na Serra das Pias (Palmeira dos Índios), até a divisa entre Alagoas e Pernambuco. Para restaurar a rodovia, o Governo Estadual investiu cerca de R$ 11 milhões em recursos próprios do Estado.
O secretário da Infraestrutura, Marco Fireman, ressalta que a grande quantidade de obras concluídas em Alagoas reflete a sensibilidade do Governo Estadual para atender às reivindicações populares. “Estamos inaugurando obras importantes em todas as regiões do Estado. Não é à toa que por onde passamos somos bem recebidos pela população, que agradece pela atenção dada pelo Estado às suas necessidades", diz Fireman.
O diretor-presidente do DER, Marcos Vital, também destaca que investir em rodovias é investir no desenvolvimento pleno de Alagoas. "É clara a prioridade do Governo para o desenvolvimento viário do nosso Estado. E ainda temos muitas rodovias para inaugurar”, afirma Vital.
Fonte:Agência Alagoas

Estado de MS precisa de R$ 12 bilhões para melhorar o transporte



foto
Foto: Valdenir Rezende
Melhoria das rodovias demandaria R$ 12,3 bilhões inicialmente em MS
Mato Grosso do Sul precisa de R$ 12,3 bilhões para colocar em prática as recomendações da Confederação Nacional do Transporte (CNT), listadas no Plano de Transporte de Logística 2011, como importantes para o desenvolvimento do Estado. Apenas as 12 obras rodoviárias consideradas necessárias para reduzir acidentes, diminuir gastos com combustíveis e manutenção de veículos – diminuindo principalmente custos do escoamento agrícola – representam 52,8% desse montante, cerca de R$ 6,5 bilhões.
De acordo com a CNT, MS tem pelo menos 2,8 mil quilômetros de rodovias necessitando de algum tipo de obra. Apenas de recuperação da malha, são mais de 1,7 mil quilômetros. Outros 495 quilômetros precisam de duplicação de pista; 310 quilômetros, de criação de faixa adicional para acomodar o fluxo de veículos e, 265 quilômetros ainda não têm o básico, a pavimentação.
A recuperação do pavimento é o mais oneroso. A estimativa é de que os oito trechos indicados pela Confederação cheguem a R$ 2,8 bilhões. Até agora apenas dois deles, segundo o deputado federal Edson Giroto, estão com obras em andamento, o de 624 quilômetros da BR-267, entre Porto Murtinho e Bataguassu; e o de 217 quilômetros da BR-262, entre Miranda e Ladário. “Nesses trechos, que estão praticamente 80% concluídos, estão sendo gastos R$ 650 milhões”, afirma.
Estão com recursos garantidos, porém ainda sem previsão de início ou conclusão das obras, trechos da MS-306 – considerada a pior do Estado – e da BR-060, entre Bandeirantes e Cassilândia. Em fase de licitação, estão 361 quilômetros das BR-158 e MS-306, entre Chapadão do Sul e Três Lagoas.
E, sem previsão alguma ou ainda em fase de projeto, 89 quilômetros da BR-060, entre Jardim e Bela Vista e 84 quilômetros da BR-419, entre Anastácio e Nioaque. Ambos trechos também estão inseridos no Plano de Transporte de Logística 2011.
Duplicação
A segunda obra mais cara, porém, essencial para o barateamento do transporte de produção agrícola e minério de ferro é a duplicação da BR-163. Os 495 quilômetros apontados pela CNT, se acatados pelo governo e incluídos no calendário de obras, devem custar mais de R$ 2,6 bilhões aos cofres públicos.
Uma pequena parte desse montante foi liberado, apenas R$ 104 milhões até agora para começar a criação de novas pistas da principal rodovia utilizada para o escoamento da safra de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul – maiores produtores brasileiros de grãos – rumo à região sul e sudeste do País.
Há ainda a necessidade de outros R$ 537,8 milhões, para 265 quilômetros de pavimentação das BR-359 e MS-395, que ligam Coxim à Costa Rica e Bataguassu à Anaurilândia. Segundo Giroto, desse montante, cerca de R$ 300 milhões foram garantidos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para a BR-359 e, por conta disso, boa parte da obra já está sendo executada. Quanto à MS-395, a pavimentação ainda depende de projeto e recursos estaduais.
A criação de faixa adicional na BR-262 entre Campo Grande e Três lagoas, também considerada importante, principalmente para reduzir custos de consumo de combustível, tempo de viagem e de acidentes é outra obra que ainda não foi incluída nos planos do governo. Com valor aproximado de R$ 517 milhões, 310 quilômetros seriam beneficiados, de acordo com a CNT.

Duplicação da BR-135 deverá começar no 2º semestre

Uma comissão formada por deputados federais, estaduais, técnicos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e membros do Tribunal de Contas da União (TCU), realizou ontem uma visita à BR-135, no trecho entre o Estreito dos Mosquitos e o município de Bacabeira. Durante a vistoria, foi informado que as obras de duplicação da rodovia devem começar ainda no segundo semestre deste ano.
Foto: Racciele Olivas/Agência Assembleia
Deputados percorreram trecho da BR-135 que deverá ser duplicado, entre São Luís e Bacabeira
Estiveram presentes durante a vistoria os deputados federais Carlos Brandão (PSDB-MA), Sérgio Brito (PDT-BA) e Nelson Burnier (PMDB-RJ), membros da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal. E ainda os deputados estaduais Neto Evangelista (PSDB), Rigo Teles (PV), Bira do Pindaré (PT) e Raimundo Louro (PMDB); o superintendente do Dnit, Gerardo de Freitas Fernandes; os representantes do TCU, Carlos Wellington e José Ulisses Vasconcelos; integrantes do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-MA), da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Associação Comercial de Bacabeira e o prefeito do município de Santa Rita, Hilton de Sousa.
De acordo com o vice-presidente da Comissão de Fiscalização e presidente da Subcomissão que acompanha as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), deputado federal Carlos Brandão, a visita dos parlamentares teve como objetivo dar mais agilidade ao processo licitatório para as obras de duplicação da rodovia. Segundo Brandão, o projeto da duplicação da rodovia irá ser feito próximo à estrada de ferro (lado direito de quem sai da Ilha) e deve ter início entre os meses de agosto e setembro deste ano; no entanto, ele disse que ainda existe um impasse entre os técnicos do Dnit e membros do TCU, que é a compra ou a produção do material de mão-de-obra, como pedra brita e areia.
Após a visita ao trecho da BR-135, o grupo seguiu para o auditório da Aeronáutica, localizado no Aeroporto Marechal Cunha Machado, a fim de buscar esclarecimentos aos questionamentos listados no relatório técnico do TCU. O documento aponta que o processo licitatório, orçado em mais de R$ 290 milhões, estaria acima do recomendado e seria reajustado com o valor de 255 milhões; porém, o Dnit afirmou ter feito os ajustes recomendados pelo TCU. O grupo de trabalho verificou também os altos índices de acidentes registrados no local durante os feriados de Carnaval e Semana Santa.
Para o deputado estadual Neto Evangelista, as obras de duplicação da rodovia é um serviço que já deveria ter começado há muito tempo. Ele afirmou estar confiante no início das obras ainda este ano. “Nós só temos quatro vias de saída da Ilha de São Luís, uma por via terrestre – ponte do Estreito dos Mosquitos que já não suporta a demanda de veículos, que está muito grande em nosso Estado; a segunda é aérea – e o aeroporto não está em boas condições no momento; a terceira pelo mar, que não é tão utilizada; e por último por via férrea. Então, temos que dá mais atenção àquela que tem um maior fluxo de pessoas e tentar amenizar a situação de riscos nas estradas, pois em meados da década de setenta tínhamos somente 800 veículos registrados, hoje são mais de 600 mil”, afirmou o parlamentar.
De acordo com os técnicos do Tribunal de Contas da União, as obras não serão embargadas e, se tudo estiver conforme acordado, a duplicação da via irá ter inicio no segundo semestre de 2011.
Aeroporto – A Comissão também debateu sobre as reais causas da interdição do Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado. De acordo com a Infraero, a interdição foi de caráter preventivo a fim de garantir a integridade física dos usuários, em função da sobrecarga da estrutura espacial do aeroporto.
Para a engenheira Vanda Vaz, que esteve em São Luís a trabalho, a estrutura do aeroporto não tem condições de receber os passageiros. “No dia 19 deste mês, eu embarquei sob forte chuva, me molhei toda antes de entrar no avião. Acho isso uma falta de respeito como os usuários, que pagam altas taxas de embarque, fora o banheiro que temos que enfrentar uma longa fila para utilizá-lo, pois só um vaso funciona”, contou.
Ainda segundo a Infraero, a reforma do aeroporto foi iniciada com o prazo de 150 dias par ser concluída.

Transportes >> Governo vai retirar publicidade irregular das rodovias

Todos os outdoors e placas publicitárias instalados às margens das rodovias estaduais que não estiverem regularizados junto à Agência Goiana de Transportes e Obras serão retirados a partir do dia 16 de maio. Hoje, apenas 10% das placas obedecem as normas. Segundo o presidente do órgão, Jayme Rincon, elas não podem obstruir a visibilidade dos motoristas nem se misturar com aquelas oficiais, de advertência e orientação.

A faixa de domínio é uma área de escape para os veículos que saem da pista e sua utilização com placas de publicidade deve seguir padrões específicos de segurança. Os proprietários e as empresas responsáveis pelas publicidades nas rodovias devem procurar o a Gerência de Operações da Agetop antes do dia 16 para solicitar sua vistoria, regularização e adequação.

Se for pessoa física, é preciso solicitar a regularização das placas nas faixas de domínio, além de comprovante de endereço e cópias autenticadas dos documentos pessoais - Carteira de Identidade e CPF. Se for empresa, deve apresentar também o CNPJ e certidão negativa de débito. O Sindicato das Empresas de Painéis e Outdoors de Goiás foi notificado sobre esta ação.

Para regularização, será cobrada taxa de vistoria, feita por técnicos de segurança rodoviária, no valor de R$ 355,31. A taxa de ocupação da faixa de domínio depende da metragem da placa instalada. Os dispositivos irregulares serão retirados pelas equipes de fiscalização, após notificação de seus donos, conforme previsto na Lei Estadual nº 14.408/2003. O material será encaminhado aos depósitos regionais da Agetop e os proprietários terão 15 dias para buscá-lo, antes que seja doado a entidades assistenciais para reciclagem.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Firjan sedia seminário sobre impactos do Arco Metropolitano

Publicidade

RIO - O governador Sérgio Cabral e o vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, participam na manhã desta segunda-feira, na sede da Firjan, no Centro do Rio, da abertura do seminário 'Arco Metropolitano: um novo marco no desenvolvimento metropolitano'. O encontro vai abordar as potencialidades que a rodovia trará para o Rio de Janeiro em termos de desenvolvimento econômico e social, as oportunidades de geração de empregos e sustentabilidade.

A estimativa é que a obra reduza de 2,5% a 20% os custos de transportes de mercadorias entre o porto de Itaguaí e sete estados brasileiros. O impacto na economia brasileira será R$ 1,8 bilhão, sendo 64,1% desse valor concentrado no setor de construção civil. Em longo prazo, a influência direta no Produto Interno Bruto da região será de R$ 2 bilhões.

Na construção da obra, estão sendo empregados quase cinco mil pessoas. Até a conclusão do empreendimento, serão 16 mil profissionais trabalhando na obra. Os dados fazem parte do estudo Avaliação dos impactos logísticos e socioeconômicos da implantação do Arco Metropolitano, encomendado pela Firjan e pelo Sebrae ao Centro de Estudos em Logística da Coppe-RJ e à Tendências Consultoria.

O Arco Metropolitano terá 140 km de extensão e passará por oito municípios: Itaboraí, Magé, Guapimirim, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Japeri, Seropédica e Itaguaí. Além das obras de duplicação de pistas e asfaltamento, 156 intervenções estão previstas, entre viadutos, pontes, passagens interiores e de gado e passarelas. A rodovia terá um Centro de Controle Operacional, pátio para cargas perigosas, postos de pesagem fixa e móvel e será monitorada pela Polícia Rodoviária Federal.




Senador Aécio Neves é parado na Lei Seca com carteira de motorista vencida

Ana Carolina Torres
O senador Aécio Neves, durante o carnaval carioca / Foto: Marcos Ramos / O Globo
O senador Aécio Neves (PSDB) foi parado numa bliz da Lei Seca na esquina das ruas Bartolomeu Mitre e General San Martin, no Leblon, por volta das 3h deste domingo. Segundo o major Marco Andrade, coordenador da Lei Seca, Aécio estava com a carteira nacional de habilitação (CNH) vencida e teve que chamar um amigo para dirigir sua Land Rover. O senador - que teve o documento apreendido e foi multado em R$ 957,70 - não quis fazer o teste do bafômetro.
- Essa situação serve como alerta para muitos motoristas que não prestam atenção para a data de vencimento da CNH e acabam sendo surpreendidos ao parar numa blitz - disse o major.
Na madrugada deste sábado, o ex-prefeiro de Magé, Charles Cozzolino, também foi parado pela Lei Seca. Ele dirigia sua picape Amarok pela Avenida Brigadeiro Lima e Silva, no Centro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e recusou-se a fazer o teste do bafômetro. Ele teve a CNH e o carro apreendidos. Ele também foi multado em R$ 957,70.
Na mesma blitz, os agentes da Lei Seca se depararam também com uma situação inusitada: ele pararam um Astra, dirigido por Marco Antonio Soares. No carro, havia um menor de 17 anos ferido a bala. Segundo o major Marco Andrade, o adolescente havia participado de um tiroteio na Favela do Lixão, perto de onde acontecia a blitz. O menor foi levado para o Hospital Municipal Moacir do Carmo, naquele município. O motorista e o carro seguiram para a 62ª DP (Imbariê), onde a ocorrência foi registrada.

Operação Lei Seca dá início a nova fase com palestra educativa


Marcelo HornA Operação Lei Seca já salvou milhares de vidas em três mil blitzes realizadas nos últimos dois anos. O resultado de uma das ações mais importantes do Governo do Estado comprova o sucesso da pioneira política pública de redução de vítimas de trânsito. Para manter o saldo positivo, equipes da operação se reuniram nesta quarta-feira (13/4) com 350 funcionários da Ambev, maior empresa de produção e comercialização de cervejas do mundo, para reforçar os perigos da mistura de álcool e direção e formar agentes multiplicadores. A parceria inusitada marcou o início da nova fase da Lei Seca.

Durante todo o ano, a população poderá conhecer um pouco mais sobre a operação em palestras que serão feitas em escolas, universidades e empresas. Trinta e oito agentes da Operação Lei Seca, incluindo cadeirantes vítimas de acidentes de trânsito, se tornaram professores na campanha educativa. No novo cronograma, as equipes irão conscientizar mais de 30 mil pessoas por mês. Com o tema “O Estado vem fazendo a sua parte. Faça você a sua e salve vidas”, a iniciativa da Secretaria de Governo pretende fazer do cidadão um promotor das ações.

- O Estado mostrou que esse é o caminho para reduzir a violência nas vias. A operação é referência para todo o país. A Ambev é uma grande parceira e começamos assim a intensificar as ações de prevenção, que já eram realizadas de forma esporádica em empresas e instituições de ensino. Agora, consolidaremos a mudança de hábito. Vamos fazer cinco palestras por semana. Ainda hoje, participaremos de um debate na Universidade Veiga de Almeida. Em breve, serão feitas apresentações também nas escolas estaduais - anunciou o coordenador-geral da Operação Lei Seca, major Marco Andrade.

Funcionários aprovam palestras
As campanhas e a fiscalização da Lei Seca - feitas na capital, na Região Metropolitana e na Baixada Fluminense - foram detalhadas no encontro de hoje. Um vídeo educativo mostrou as consequências do uso excessivo do álcool. Os agentes explicaram como os motoristas são abordados nas blitzes e passam pelo teste do etilômetro para medir o teor de bebida alcoólica ingerida. Números de operações realizadas e de acidentes evitados pelas operações e as histórias de vítimas do trânsito também foram apresentadas e impressionaram os funcionários da Ambev, que aprovaram a iniciativa.

- Eu achei a palestra bastante construtiva, porque vivemos um momento muito violento. O trânsito mata mais do que acidentes de avião e, se duvidar, mais do que armas de fogo. O projeto mudou a vida do cidadão fluminense, que está mais responsável. Parece que a impunidade acabou. Pessoas alcoolizadas acham que podem fazer tudo no volante, eles têm excesso de confiança. Eu tenho consciência. Já fui parado na Lei Seca e posso dizer que fui muito bem tratado e ainda recebi os parabéns - contou o motorista de distribuição, Sérgio Cassiano dos Santos.

O ajudante de caminhão José Romão Batista ficou atento a cada informação divulgada durante os trinta minutos de palestra. O assunto interessava, já que na última segunda-feira ele presenciou um acidente de trânsito. Um amigo do funcionário da Ambev, que dirigia alcoolizado, atropelou uma pessoa em um ponto de ônibus. Para José, ouvir as mensagens dos cadeirantes foi o mais emocionante. O ajudante de caminhão fez questão de dizer que irá repassar a mensagem a seus amigos e familiares.

- A Operação Lei Seca está salvando muitas vidas e assistir a uma palestra sobre o trabalho dos agentes foi muito bom e esclarecedor. Por causa da bebida, o meu vizinho atropelou uma pessoa no ponto de ônibus onde eu estava. Ele morreu na hora e a vítima, ontem. Por isso que acho importante disseminar o perigo dessa mistura fatal. Precisamos divulgar para que a mortalidade no trânsito seja reduzida cada vez mais - afirmou emocionado.

Marcelo Horn

Lei Seca em números
Do dia 19 de março de 2009 até a última terça-feira (12/4), 450.251 mil motoristas foram abordados nas blitzes, 76.087 mil foram multados e 32.018 mil tiveram a habilitação apreendida. Os agentes realizaram 424.267 mil testes com o etilômetro. Desse total, 4.127 mil condutores sofreram sanções administrativas e 1.488 mil criminais.

Campanhas
Imprensa OficialNos últimos anos, mais de 60 mil panfletos coloridos da Operação “Lei Seca” já foram impressos pelas máquinas off-set do parque gráfico da Imprensa Oficial. Além de apoiar a campanha imprimindo material de conscientização, a IO também publica pôsteres coloridos como encarte no Diário Oficial, que podem ser afixados em locais de grande circulação.

Com a modernização do parque gráfico da Imprensa Oficial, a empresa atualmente reúne condições técnicas para apoiar campanhas de conscientização, além de atender as demandas estaduais por produtos gráficos.

Leia mais no D.O. Digital.

Rodovias são recuperadas em Irecê

Os veículos que trafegam pela BA-148, que liga os municípios de Irecê, Ibititá e Ibipeba, na região centro-norte do estado, encontrarão a rodovia mais segura e com asfalto recuperado. As obras de pavimentação de 43,6 km da pista, realizadas pelo Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia (Derba), serão inauguradas na próxima sexta-feira (29). Pelo trecho recuperado trafegam diariamente cerca de 320 veículos com destino aos municípios de Irecê, Ibipeba, Ibititá, Barra do Mendes, Barro Alto e Canarana. De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura, Otto Alencar, R$ 14,2 milhões foram investidos nas obras.
Fonte do rss



Lei prevê a troca de multa de trânsito por advertência

É Lei Reversão é possível pelo Código de Trânsito Brasileiro, mas, na prática quase não ocorre, pois depende de decisão subjetiva do órgão emissor...

Circula pela internet um email que fala sobre direitos do cidadão que normalmente são desconhecidos pela maioria. Um dos itens abordados no email chama a atenção: afirma que, pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro), é possível impor advertência por escrito à infração de trânsito leve ou média, ao invés de puni-la com multa. A condição para que a reversão seja feita é que o infrator não tenha cometido a mesma infração nos últimos 12 meses. O email ainda descreve o procedimento para mudar a penalidade. “É só ir ao Detran e pedir o formulário para converter a infração em advertência com base no Art. 267 do CTB. Levar xerox da carteira de motorista e a notificação da multa. Em 30 dias você recebe pelo correio a advertência por escrito. Perde os pontos, mas não paga nada”.

Verdade ou mentira?
Verdade e mentira. A verdade é que o artigo existe sim no CTB, no entanto, conseguir a reversão não é um processo tão simples. Nos termos do artigo consta o termo “poderá” e alerta que a reversão somente ocorrerá quando a autoridade de trânsito, “considerando o prontuário do infrator, entender esta providência como mais educativa”.
Conversamos com o coordenador de infrações do Detran (Departamento de Trânsito do Paraná) Gustavo Fatori, que explicou como a regra é aplicada no estado. “Quando a pessoa recebe uma infração leve ou média e se enquadra nestes critérios objetivos, não tendo cometido infração igual no último ela pode recorrer, mas nem sempre isso é feito no Detran. Ela precisa interpor uma defesa da autuação ao órgão que a multou, pode ser a polícia rodoviária ou os órgãos de trânsito municipais”, explica. Esta instância tem um prazo para avaliar a defesa, mas Gustavo admite que os critérios para que estes órgãos decidam por reverter ou não há multa são subjetivos. “O artigo prevê que se escolha a penalidade que considerar mais educativa, considerando o prontuário do infrator. Com isso, não é comum que a reversão ocorra, não temos isto quantificado, mas são poucos casos”, relata. Gustavo ainda comenta que além de pedir a reversão, o condutor tem o direito de questionar a própria emissão da multa.
Leia mais na edição deste domingo (17) da Gazeta do Paraná

Multas por falta de cinto de segurança em estrada sobem 70%

Do Metro

O número de multas por falta de cinto de segurança nas rodovias estaduais de São Paulo aumentou quase 70% nos últimos três anos, segundo balanço divulgado pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem).

Foram 69.544 motoristas multados no ano passado, ante 41.119 infrações em 2007.

O balanço do DER aponta uma média de 190 motoristas multados por dia no ano passado por não usarem o equipamento.

Levantamento realizado pela Polícia Rodoviária indica que, em média, sete motoristas sem cinto se envolveram diariamente em acidentes em estradas federais no primeiro semestre do ano passado. Em 2009, a média era de 6,3 por dia.

A ausência do cinto de segurança é considerada infração grave pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro). O motorista flagrado perde cinco pontos da carteira e tem que pagar multa de R$ 127,69.

Cadeirinha

Exigida para crianças de até sete anos desde setembro do ano passado, a cadeirinha de segurança também começou a cair no esquecimento. Entre o início da lei e fevereiro deste ano, a CET multou mais de 1,7 mil motoristas pela falta do equipamento.

A infração é considerada gravíssima. O motorista que não usar a cadeirinha paga R$ 191,54, além de ganhar sete pontos na carteira e ter o veículo retido até a regularização.

sábado, 16 de abril de 2011

Mulheres são minoria no trânsito de Roraima

Dados do Setor de Habilitação do Departamento Estadual de Trânsito de Roraima (Detran), mostram que no Estado existem 107.504 motoristas habilitados. Destes, apenas 30.706 são mulheres, sendo que 26.855 possuem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) definitiva, 3.217 têm Permissão para Dirigir e 634 são carteiras antigas que não foram renovadas.

Os números mostram ainda que 16.400 mulheres estão habilitadas na categoria AB, onde podem dirigir motos de qualquer cilindrada e veículos de até 3.500 kg, com capacidade máxima de sete passageiros. Já 2.565 possuem CNH da categoria A, 11.617 categoria B, 54 mulheres possuem categoria C, 77 têm CNH D e apenas duas categoria E.

A funcionária pública do município de Amajari, Airlamar Silva de Souza, é motorista e possui habilitação há muitos anos. Ela firma que dirige veículos de grande porte há mais de 10 anos, fazendo o trajeto entre Boa Vista e o interior do Estado. “Uma coisa posso garantir, geralmente nós mulheres somos mais cuidadosas, ainda mais quando temos filhos. Tenho muito cuidado e graças a Deus nunca me envolvi em acidentes e nem recebi multas” disse a motorista.

A vendedora Ennya Barroso Santos, que dirige há muitos anos possui a CNH da categoria B. Ela também acredita que mulheres são mais responsáveis e evitam ainda ingerir bebida alcoólica antes de dirigir. “Acredito que as mulheres dirigem melhor, elas são mais cautelosas e prestam mais atenção no trânsito”, afirmou.

O motorista profissional Francisco Soares trabalha numa empresa há mais de uma década. Ele observa que as mulheres se envolvem menos em acidentes e cometem menos infrações. “Não concordo com a fama de que as mulheres são ruins ao volante, pelo contrário, elas dirigem bem. No entanto, isso não é regra, afinal, basta dirigir para estar sujeito a acidentes. O importante é tomar cuidado independente de ser homem ou mulher” observou.

De acordo com a chefe Seção de Suspensão e Cassação de Carteira Nacional do Detran, Caroline Sampaio Radin, o número de infrações cometidas pelas mulheres no trânsito é muito menor que dos homens e as estatísticas comprovam isso. Segundo ela, na dinâmica do dia-a-dia, todos compartilham este espaço público, mais masculino do que feminino, porém elas são conhecidas por serem mais cuidadosas e se envolvem menos em acidentes” destacou Caroline.

Dados
Os dados mostram que de janeiro de 2010 até março deste ano, 251 motoristas tiveram o direito de dirigir suspenso por excesso de pontos na Carteira de Habilitação, a maioria por receberem multas gravíssimas. Deste total, 222 são homens e apenas 29 do total são mulheres.

Leia a Biblia
(I João 2:12b) - porque pelo seu nome vos são perdoados os pecados.

Detran começou a notificar motoristas com 20 pontos na carteira


O Detran já iniciou a notificação formal dos condutores de veículos que tiverem perda acumulada de 20 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por infrações cometidas no período de 12 meses. Na notificação, o infrator será informado sobre as datas e tipos de infração que cometeu, os pontos perdidos em cada uma, a abertura de processo administrativo, o prazo para defesa por escrito e o aviso para apresentar defesa, dentro do prazo estipulado. A notificação é feita pelos Correios e deverão ser enviadas a 741 motoristas.

Os condutores da capital devem apresentar a defesa na Coordenadoria de Controle de Infrações (CCI), que fica no prédio-sede do órgão, no Pontal da Barra. Os do interior deverão entregar a defesa na Ciretran de sua região. Segundo a CCI, as 741 notificações começaram a ser enviadas na última segunda-feira (11).

As notificações serão enviadas regularmente, à medida que o condutor perca 20 pontos por ano.

Caso o condutor não seja localizado no endereço que consta no cadastro do Detran, a notificação permanece válida e ele pode ser punido à revelia, já que, pelo Código de Trânsito, cabe ao motorista informar ao Detran sobre mudança de residência para outra unidade da federação, cidade, bairro ou rua do Estado em que adquiriu a CNH.

O processo dos 20 pontos acumulados pode acarretar a suspensão do direito de dirigir, por prazos que variam de um mês a um ano, de acordo com o que estabelece a Resolução 182/2005 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). O condutor que, ao final do processo, tiver suspenso o direito de dirigir, terá que entregar sua CNH ao Detran. Ser ele não o fizer e depois for flagrado dirigindo, terá a CNH apreendida no ato, pelo agente de trânsito e poderá ter habilitação cassada.

Nesse caso, só depois de dois anos da cassação, ele poderá requerer sua reabilitação. Para ela ser concedida, o condutor precisará reiniciar todo o processo como se fosse a sua primeira habilitação: curso em auto-escola, exame clínico e psicológico e exames de legislação e direção.

Já os motoristas punidos com suspensão do direito de dirigir têm que entregar a CNH ao Detran, fazer um curso de reciclagem em autoescola, submeter-se ao exame de legislação e, se aprovado, poderá resgatar a CNH, caso ela não esteja vencida, e voltar a dirigir, depois de decorrido o prazo da suspensão.

Estarão fora da notificação do Detran, para efeito de acúmulo de 20 pontos em 12 meses, as infrações que, por si só, motivam processo para suspensão do direito de dirigir se a defesa não for deferida. Nesse caso, estão infrações gravíssimas, como dirigir embriagado, dirigir com faróis apagados, omissão de socorro depois de provocar acidente, manobra perigosa ou dirigir moto sem o capacete.

A perda de pontos depende do grau da infração. Para infrações leves (dirigir sem a CNH ou o documento do veículo, por exemplo), perda de 3 pontos. Infração média (como falar pelo celular ao volante), perda de 4 pontos; infração grave (condutor ou passageiros sem cinto de segurança, cujo uso é obrigatório), perda de 5 pontos; e infração gravíssima (avançar sinal de trânsito, conduzir crianças sem o uso da cadeirinha e outras), perda de 7 pontos.

Leia a Biblia
(I Tessalonicenses 2:12) - Para que vos conduzísseis dignamente para com Deus, que vos chama para o seu reino e glória.

Campanha de conscientização do trânsito no ES completa um ano

Vitória - O Detran do Espírito Santo completou nesta semana um ano de ações especiais com motoristas capixabas. Uma das principais iniciativas de conscientização foi o "Ligado no Trânsito".

Grupos de jovens foram convidados a curtir as festas mais badaladas da capital capixaba com direito a ir e voltar no táxi exclusivo da campanha. No trajeto de ida e de volta, a equipe do Detran-ES, que acompanhava os grupos, gravou vídeos mostrando a diferença no comportamento dos jovens antes e após beberem. O resultado de todas as ações se transformou no vídeo Funk do Ligado, lançado dia 14 de abril e já é hit na internet.

O bordão "Ai, que Tudo!", está virando febre na rede e nas baladas capixabas. De acordo com o jornalista Théo Prata de Oliveira, 24, personagem principal do Funk do Ligado, o bordão foi inspirado no livro da socialite Narcisa Tamborindeguy, "Ai, que loucura!". "Foi uma brincadeira entre os amigos e aí todo mundo começou a falar", contou.  

Outra ação que fez sucesso no verão foi o "Motorista da Rodada". Jovens escolhidos por meio das mídias sociais ganharam o direito de curtir os “rocks” mais esperados do verão capixaba, no badalado balneário de Guarapari, com tudo pago pelo Detran-ES. O internauta escolhido ganhava ingressos para as festas e ainda podia levar mais três amigos no carro exclusivo da campanha. Porém, um deles, escolhido o motorista da rodada, era o responsável por conduzir a galera no trajeto de ida e volta e não podia beber. A equipe do Ligado no Trânsito acompanhava tudo de perto. Durante as ações, nenhum motorista bebeu. Sucesso absoluto.




Leia a Biblia
(I Tessalonicenses 2:12) - Para que vos conduzísseis dignamente para com Deus, que vos chama para o seu reino e glória.

Entrega de obra da "Curva da Morte" é adiada

Ribeirão Preto - A entrega da duplicação da Rodovia Cândido Portinari na região da Serra da Rifaina, cidade na região de Franca que faz divisa com Minas Gerais, foi adiada pela terceira vez em menos de seis meses. No trecho, conhecido como "Curva da Morte", pelo menos 60 pessoas perderam a vida nos últimos 15 anos em acidentes automobilísticos. A obra prevê a duplicação da pista e a construção de viadutos entre os quilômetros 457 e 460 da rodovia.

Depois de seguidos não-cumprimentos de prazo, as expectativas mais otimistas dão o fim de abril como data mais provável de entrega - se não chover na região. Mas os trabalhadores da obra e até os engenheiros da empresa contratada colocam maio como a possibilidade mais concreta para a entrega das obras. A obra estava prevista para ser entregue em outubro de 2010 e foi adiada para o fim de março de 2011, prazo que também não foi cumprido.

A justificativa foram as chuvas do mês passado, que interromperam o avanço dos serviços que dão forma ao terceiro viaduto que duplicará a pista. No total, já estão prontos 2,5 quilômetros das obras, restando aproximadamente 900 metros para sua conclusão. Para o prefeito de Franca, Sidnei Franco da Rocha (PSDB), embora a demora na entrega seja prejudicial, o mais relevante é que o problema da "Curva da Morte", que por décadas aterrorizou e ceifou a vida de centenas de pessoas, será resolvido. "Claro que queremos a resolução mais rápida, mas entendemos que as questões climáticas tenham atrasado um pouco as obras", informa.


Justificativas

Responsável pela construção, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou, por meio da sua assessoria, que em alguns dias do mês de março os serviços ficaram totalmente paralisados por causa das chuvas. Agora que o tempo voltou a ficar estável na maior parte dos dias, a obra foi retomada por completo e já está em fase de acabamento.

A previsão é que o serviço seja concluído neste mês, mas o DER preferiu não antecipar se a entrega será na primeira ou segunda quinzena de abril. Para acelerar os serviços, a Leão Engenharia, empresa responsável pela obra, afirma ter contratado 50 homens, mas tem contado com outros 30 operários, alocados de acordo com o desenvolvimento dos trabalhos nessa reta final. O engenheiro Gustavo Leonal, especialista em construção de grandes obras, informa que, para cada dia de chuva, o prazo inicial da obra deve ser acrescido de dois dias. "É o tempo para que o trabalho seja feito com segurança e que não existam perdas evitáveis".


A obra

Para a obra, foi necessário destruir a rocha aos poucos com explosões em dinamite e britadeiras utilizadas no local. As obras, que consumirão cerca de R$ 29 milhões, foram realizadas pela Leão Engenharia, empresa de Ribeirão Preto que venceu a licitação promovida pelo governo do estado. Embora a rodovia Cândido Portinari contenha pedágios no trecho entre Ribeirão e Franca, que conta com pista duplicada, de Franca até Rifaina a pista é simples e sem pedágios. O principal objetivo da obra é modificar o ângulo da curva da serra da Rifaina, que é muito acentuado e não oferece ao motorista uma segurança necessária para tráfego.

No último acidente mais grave, ocorrido em março do ano passado, cinco pessoas morreram e outras três ficaram gravemente feridas. As vítimas estavam numa perua Kombi que carregava alunos para a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Franca que acabou tombando e colidindo com um caminhão. Mas o maior acidente no local aconteceu em 2002, quando um ônibus que levava estudantes de Rifaina para Franca perdeu o controle e tombou no local. Na ocasião, 20 jovens morreram e outros 15 ficaram feridos.


Mais problemas

Mas a situação dos motoristas que trafegam pela Cândido Portinari no trecho de pista simples não deve melhorar muito, mesmo com a finalização da obra. No trecho entre a entrada de Jeriquara e Rifaina, as chuvas dos últimos dias fizeram com que os buracos tomaram conta da estrada. Em alguns trechos, camadas de asfalto se soltaram provocando desníveis. A situação é ruim dos dois lados da pista, mas um pouco pior para quem dirige sentido a Rifaina. No quilômetro 60, próximo à cidade de Pedregulho, há pelo menos 500 metros contínuos de pista danificada.

Depois do posto da Polícia Rodoviária, outro longo trecho apresenta problemas. Quem está acostumado com o trajeto redobra a atenção, mas os motoristas desprevenidos se surpreendem com as pancadas que o carro recebe a cada buraco. "Fui para o rancho em Rifaina dias atrás, à noite. Com chuva e neblina, era praticamente impossível enxergar os buracos. Por prudência, meu marido diminuiu a velocidade e, o percurso que dura em média 50 minutos, fizemos em quase uma hora e meia", disse a auxiliar de escritório francana Kelly Cristina Silva.

A situação colocou o DER em alerta. O departamento de estradas prometeu, inclusive, intensificar as obras de reparo no trecho. "É um serviço constante e necessário em épocas de chuvas nas várias estradas administradas pelo DER", disse a assessoria da empresa. A assessoria não informou quanto tempo deverá levar para corrigir os estragos causados pela chuva e nem quanto vai gastar com a operação tapa-buraco.



Leia a Biblia

(Isaías 9:6b) – e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

Novo traçado da BR 101 vai tirar rodovia da área urbana de Campos

Prefeitura vai reformar trecho que não mais fará parte da rodovia

Do R7, em Campos | 15/04/2011 às 15h04
Cláudia Alcantara / R7
Cláudia Alcantara / R7
Obras na área urbana da BR 101 em Campos começam em 100 dias


O presidente da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre), Bernardo Figueiredo, anunciou nesta sexta-feira (15) que a BR 101 (rodovia que liga o Rio de Janeiro ao Espírito Santo) vai ter o trajeto modificado no municipio de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense. A decisão foi tomada a partir de uma solicitação da Prefeitura de Campos, que vai assumir o trecho urbano da rodovia.
Com o novo traçado, que será acompanhado por uma linha férrea, a BR 101 não mais passará pela cidade. Além de beneficiar os produtores de cana, o novo trecho vai facilitar o acesso ao porto do Açu, no município de São João da Barra, também no norte do Estado.
O anúncio aconteceu durante uma coletiva com várias autoridades na sede da Prefeitura de Campos. O presidente da OHL, empresa responsável pela concessionária Autopista Fluminense, que administra a BR-101, José Carlos Ferreira, informou que as obras para mudança do traçado só devem começar depois de um ano e meio. Ele explicou que são necessários vários levantamentos antes de começar a obra em si.
- Temos que elaborar o projeto, fazer pesquisa de tráfego,... quando isso tudo estiver pronto, começamos a obra.
A prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, disse que a reforma e duplicação de parte do trecho que vai ser municipalizado, independe desse levantamento.
- O primeiro trecho, que foi o que eu solicitei, entre Ururaí e a avenida Alberto Torres [no parque Leopoldina] já está com o projeto pronto e vamos dar entrada no processo de licitação. As obras devem começar em 100 dias.
O segundo trecho segue até o bairro do Aeroporto, onde a rodovia deve retornar ao trajeto original. Por enquanto, não há previsão para obras nessa parte da estrada, que vai ser administrada pela prefeitura.
Duplicação
Durante a reunião, também foi confirmada a aceleração do processo de duplicação das pistas da BR-101.
Ferreira informou que as licenças já estão sendo liberadas e que as obras de duplicação devem começar em até três meses. O primeiro trecho a ser duplicado vai ser em Rio Dourado, em Casimiro de Abreu.
Ferrovia
O presidente da ANTT informou também que uma ferrovia, com capacidade de 600 vagões/dia, vai seguir o novo trajeto da BR-101. A linha vai seguir os padrões das estradas de ferro do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, com bitolas grandes.
O objetivo inicial da criação da ferrovia é atender ao transporte de carga, basicamente originário do porto do Açu, mas Figueiredo não descarta a possibilidade de ampliação para o transporte de passageiros.




Leia a Biblia
(João 12:44) - E Jesus clamou, e disse: Quem crê em mim, crê, não em mim, mas naquele que me enviou.







Caminhoneiros estão entregues à própria sorte em trechos da BR-262 em MS

Trafegar pela BR-262 no trecho entre Três Lagoas e Águas Claras pode ser tornar uma aventura perigosa. É o que denunciam motoristas de carga pesada que, rotineiramente, cruzam uma das mais importantes rodovias de escoamento da safra do MS.

O constante trabalho de conservação a cargo da empreiteira CGR não evita que o leito da rodovia esteja sucateado, colocando em risco na BR- 262 os caminhoneiros, ônibus de passageiros e automóveis.

Ouvidos pela reportagem do Midiamax, os motoristas denunciam que as obras de recapeamento são feitas apenas nos trechos mais críticos, enquanto os demais continuam a se deteriorar.
Na sequência, os Kms sem reparos pioram, demandando outro recapeamento. E quando esse segundo serviço é concluído, o primeiro trecho fica ruim novamente, porque o asfalto não suporta o peso dos caminhões.

Dessa forma, a rodovia permanece em eterna manutenção, sem que seus problemas mais graves sejam solucionados. Alguns motoristas afirmaram que a situação perdura há quatro anos.
Os trechos recapeados com 2,5 cm de capa asfáltica somam apenas seis kms e, junto com outros trabalhos de conservação, tem o custo de R$ 8 milhões.

Ao percorrer a BR 262 entre Água Clara e Três Lagoas, a reportagem comprovou a reclamação dos caminhoneiros. Há mais asfalto ruim que bom e, de fato, pontos reformados já apresentam remendos. Acostamento, quase nenhum.

O trecho da rodovia contrasta com muitos outros pontos em bom estado de trafegabilidade. De Água Clara até proximidades de Corumbá, a pista apresenta qualidade para o tráfego porque, segundo o Dnit/MS, foi restaurada.

A versão do Dnit

Segundo Milton Rocha Marinho, engenheiro responsável pelo Dnit/MS em Três Lagoas, todo o problema da rodovia se resume no esgotamento da vida útil da BR-262 no trecho, depois da última restauração em 2004.

Segundo ele, a restauração daquela época foi feita com recursos do BIRD, de baixo valor, insuficientes para a realização da obra com alta qualidade.

Portanto, segundo essa visão, só caberia ao Dnit reformar alguns pontos para a correção de defeitos, e realizar tapa-buracos. Sobre a falta de acostamento, o engenheiro argumentou que "a legislação exige 2,5 metros para cada lado, o que tornaria a construção inviável, devido ao alto custo.

"Em relação a remendos em trechos recém-recapeados, o engenheiro afirma que o que chama de "capinha" não tem prazo de durabilidade e "serve apenas para eliminar os pontos mais críticos".

O engenheiro garante que "quando são detectados problemas de qualidade na execução por parte da empreiteira, o serviço é refeito e não é pago só uma vez". Mesmo assim, se apressa em justificar, afirmando os "defeitos na capinha se devem às deformidades da estrutura da pista".

Uma licitação para recapeamento do trecho, com o custo aproximado de R$ 140 milhões deve ser lançada em breve, como parte do CREMA 2, do governo federal. No MS, o orçamento para as novas obras em cinco rodovias – BR-262, BR-163, BR-060, BR-419 e BR-158 – chega a mais de R$ 910 milhões.

Leia a Biblia
(João 13:14) - Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Trecho da Rodovia Flávio de Carvalho é interditado por 60 dias

Confira as opções de desvio

O trecho entre a Rua das Vitórias Regias até Avenida Altino Gouveia, próximo ao Centro de Lazer do trabalhador (CLT) "Ayrton Senna da Silva" da Rodovia Flávio de Carvalho vai ficar interditado por 60 dias a partir desta segunda-feira (4), para obras de drenagem.
Rotas
Com a interdição, a Rua Antonio Tassi, paralela à Rodovia, no trecho entre a Avenida Dr. Altino Gouveia e a Rua das Vitórias Régias, passará a ter duplo sentido de direção para acolher os veículos procedentes da Rodovia Flávio de Carvalho que trafegam no sentido bairro/Centro.
Diante da interdição do trecho da rodovia, haverá ainda alteração no sentido de direção da Rua das Vitórias Regias, que durante este período terá mão única no sentido bairro/Centro no trecho entre a interseção com a Rua dos Misiotis até a Rua Antonio Tassi. Com isso, a opção para os veículos procedentes da Rua das Vitórias Régias (sentido bairro/Centro) será desviar pela Rua dos Misiotis até a Rua dos Manacás, na intersecção com a Rua Antonio Tassi, ou seguirem pela Rua Vereador Walter Woelzk e a rua que fica entre os lagos do CLT, para o acesso à Avenida Dr. Altino Gouveia.
Já os veículos que vierem da Rodovia Flávio de Carvalho, que trafegarem no trecho entre a Avenida Albertina de Castro Prado e a interseção com a Rua das Vitórias Régias, que queiram se dirigir para a Avenida Dr. Altino Gouveia deverão fazer o retorno na Avenida dos Estados, próximo ao Restaurante Gravetos.
Para os veículos procedentes do bairro da Fonte Mécia e da Rodovia dos Agricultores que se dirigirem para a Avenida Dr. Altino Gouveia, uma das opções será se deslocarem em direção ao bairro Jardim Paraíso, seguindo pela Avenida dos Gerânios até as ruas dos Manacás, Vitórias Régias, Vereador Valter Woelzk e a rua entre os lagos do CLT. Outra alternativa de trajeto será seguir pela Rodovia Flávio de Carvalho e fazer o retorno na Avenida dos Estados.

Passagem provisória
No canteiro central do trecho interditado, entre a Rua Antonio Tassi e Rodovia Flávio de Carvalho, será construída uma passagem provisória de veículos a fim de evitar o conflito de tráfego na interseção de ambas as vias com a Avenida Dr. Altino Gouveia.

Rodovia Euclides da Cunha duplicada não terá pedágio, garante Alckmin


Máquinas na pista, ordem de Alckmin. Empreiteiras têm prazo de 24 meses para concluir a obra


















Na presença de centenas de lideranças políticas e comunitárias da região, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) esteve em Votuporanga no dia 26 de março para autorizar a colocação de máquinas na pista, simbolizando o início das obras de duplicação da Rodovi

Agora não tem mais volta. Depois da reunião realizada em Votuporanga, dia 26 de março, só os pessimistas de carteirinha continuarão duvidando do início das obras de duplicação da rodovia Euclides da Cunha.
Mas, os milhares de moradores das cidades situadas no chamado vale seco da referida via não podem se contentar só com o tiro de partida dado pelo governador Geraldo Alckmin nem com a visão das máquinas trabalhando, como já se pode constatar em alguns trechos. Também não se deve ficar muito extasiado com a garantia dada pelo governador de que não haverá cobrança de pedágio.
Claro, estas são conquistas que, depois de tantas idas e vindas e de inexplicáveis anúncios de início e adiamentos das obras, precisam e devem ser comemoradas, mas há muito chão pela frente.
Em que pese o principal aspecto da necessidade de duplicação, que é destravar um trecho altamente enroscado, que já vitimou quase três mil pessoas nos últimos anos, há que se pensar no futuro.
Se até sábado passado, além de colocar em risco a vida das pessoas, a rodovia também se destacava negativamente pelo festival de buracos em quase toda sua extensão, a tendência é que, daqui a 24 meses, tudo mude.
A Euclides da Cunha, depois de duplicada, será uma das melhores rodovias do país, e certamente fará crescer o olho de empresários que não agüentam mais a saturação, sob todos os aspectos, dos grandes centros.
Juntando-se o fato de que a região dispõe de excelente estrutura do ponto de vista médico-hospitalar e educacional e ainda ostenta índices de primeiro mundo em termos de saneamento básico, com 100% de água e esgoto tratados, estará criado o caldo de cultura para atrair investidores.
Mas, para isso, é preciso que as lideranças políticas e comunitárias da região, desde já, tirem os pés do chão, desenvolvendo um projeto a várias mãos, à moda da receita preconizada por Antonio Carlos Favaleça, prefeito de Santa Fé do Sul, na edição de 27 de março do Jornal de Jales.
Entusiasmado com a posse dos deputados estaduais Analice Fernandes e Carlão Pignatari (PSDB) e Itamar Borges (PMDB), todos com vinculações em cidades ao longo da rodovia Euclides da Cunha, com o anúncio da duplicação da rodovia e, depois de refletir sobre o que existe de bom e consistente ao longo destes 190 quilômetros, Favaleça conclamou todos a se unirem em torno de um grande projeto regional, que seria a criação da Região Administrativa dos Grandes.
A região como um todo, por falta da existência do tal projeto de desenvolvimento regional bem costurado e articulado entre os líderes de cada município, já perdeu a chance de crescer após a conclusão da ponte rodoferroviária sobre o rio Paraná, uma megaobra que consumiu quase R$ 500 milhões, concluida em 1998. Praticamente nenhuma cidade amealhou dividendos.


DER-PI conclui mais 136 Km de rodovias recuperadas

Outras duas obras importantes estão em andamento: a rodovia Transcerrados e o anel viário de Uruçuí
O Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER-PI) está concluindo, agora em abril, aproximadamente, 136 Km de rodovias totalmente recuperadas em vários municípios do interior. Outras duas obras importantes estão em andamento: a rodovia Transcerrados e o anel viário de Uruçuí.
Estão concluídas ou em fase de conclusão - restando apenas a colocação da sinalização - as obras de reforma da PI-305, de Caxingó a Caraúbas até o entroncamento com a PI-211, numa extensão de 20 Km; a PI-255, entre Curimatá e Parnaguá, com 48 Km de asfalto recuperado; PI-142, entre Fronteiras e Pio IX, com 34 Km e PI-305, de Curralinho ao entroncamento com a BR-316, com extensão de 30 Km.
O anel viário de Uruçuí, num trecho de rodovia de 3,5 Km, permitindo o acesso à ponte sobre o Rio Parnaíba, ligando o município à cidade de Benedito Leite, no Maranhão, também deverá ficar pronto agora em abril. A obra vai retirar do centro de Urucuí todo o tráfego pesado de caminhões que transportam a soja e outros grãos dos cerrados piauienses.
Transcerrados
As obras no trecho mais prejudicado da rodovia PI-397, a Transcerrados, foram retomadas e deverão ser concluídas ainda em abril. A rodovia Transcerrados começa no entroncamento com a PI-247, em Sebastião Leal, até o entroncamento com a PI-254, em Monte Alegre do Piauí.
No mês passado, foi apresentada a análise da viabilidade técnica, econômica e jurídica da concessão de 330 quilômetros da rodovia PI-397 (Trancerrados) para exploração pela iniciativa privada, etapa inicial para que seja firmada a primeira Parceria Público-Privada no Piauí.
O relatório de consultoria especializada mostrou os estudos de demanda, engenharia, ambiental e social, a viabilidade econômica e financeira e o estudo jurídico e regulatório da implementação da PI-397.
A análise foi feita com base no atendimento da demanda da Transcerrados nos próximos 25 anos, para o escoamento da produção de uma área cultivada de 2,5 milhões dos mais de 5 milhões de hectares agricultáveis existentes nos cerrados piauienses.
O diretor-geral do DER-PI, engenheiro Severo Eulálio, vai encaminhar na próxima semana a ficha técnica dessas obras já concluídas ao governador Wilson Martins, para que sejam agendadas as datas das inaugurações.

Fábregas sofre acidente de trânsito antes do treino

Meia do Arsenal saiu ileso de colisão, informou a assessoria de imprensa do clube
EFE
    ReutersReuters

    Fábregas bateu o carro, mas saiu ileso do acidente
    O meia espanhol Cesc Fábregas, do Arsenal, envolveu-se nesta segunda-feira (4) em um acidente de trânsito quando seguia para o treino da equipe, mas não sofreu ferimentos.


    Um porta-voz do Arsenal informou que, além do capitão dos 'Gunners', o motorista do outro veículo que se chocou com o de Fábregas também escapou ileso.

    - Foi um acidente leve, após o qual Fábregas pôde continuar seu trajeto ao centro de treinamento de Colney e participar com normalidade da atividade.

    A polícia foi chamada, mas, em seguida, liberou os condutores.

    Fábregas voltou recentemente aos treinos após se recuperar de uma lesão muscular que o impediu de disputar os dois últimos jogos do Arsenal no Campeonato Inglês.



    Juiz atropela e mata motociclista

    Um juiz de Direito se envolveu em acidente com morte na avenida Washington Soares. Segundo a Polícia, o teste do bafômetro indicou que ele havia ingerido bebida alcoólica acima do permitido

    Um carro que estava sendo guiado por um juiz de Direito se envolveu em acidente com morte na madrugada de ontem, na avenida Washington Soares. O veículo colidiu com uma moto. O motociclista Henrique Maria da Silva, de 23 anos, teria sido arrastado por cerca de 115 metros. Ele ainda chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital.

    Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o juiz Aristófanes Vieira Coutinho Junior fez o teste do bafômetro e o resultado deu positivo. “O exame indicou índice de 0,82 mililitros (de álcool no ar expelido)”, informa o comandante da PRE, coronel Túlio Studart. Acima de 0,33 ml, a chamada Lei Seca considera crime, prevendo que o acusado seja preso.

    Aristófanes foi levado para o 2º Distrito Policial (DP), no Meireles, mas foi liberado. “Juiz tem prerrogativa. Pela Lei, não é preso em flagrante quando o crime é afiançável. Ele é liberado e, depois, responde junto ao Tribunal de Justiça”, explica o comandante da PRE, coronel Túlio Studart.

    Por meio de nota, o Tribunal de Justiça do Ceará lamentou “o triste episódio” e informou que estão sendo tomadas providências para instaurar “os procedimentos legais cabíveis”. “Tudo de acordo com a Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman) e disposições previstas no Código de Processo Penal Brasileiro”, informa a nota, sem mais detalhes.

    Ontem pela manhã, o juiz se apresentou ao desembargador José Arísio Lopes da Costa, presidente do Tribunal. É ele quem decide o procedimento a ser tomado. A Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman) prevê várias medidas, como afastamento do cargo e até mesmo prisão especial.

    No momento do acidente, Aristófanes estava na companhia da esposa, que também é juíza. “Ele permaneceu no local até a chegada da Polícia”, informa o comandante da PRE.

    O motociclista foi socorrido pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu e morreu na ambulância, enquanto seguia para o Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza.

    Peritos criminais foram até o local do acidente e constataram que o motociclista foi arrastado por 115 metros. A moto ficou bastante danificada e o carro do juiz - da marca Hyundai - teve a parte da frente destruída.


    E agora

    ENTENDA A NOTÍCIA
    Como o juiz tem prerrogativa, cabe ao presidente do Tribunal de Justiça decidir a medida a ser tomada em casos como este. Se fosse um cidadão comum, ele teria sido preso e só seria liberado mediante pagamento de fiança.


    SAIBA MAIS

    O acidente foi por volta das 3 da madrugada, na altura do Centro de Eventos. O
    carro do juiz bateu na traseira da moto.

    O motociclista tinha 23 anos e trabalhava como garçom.

    Até pouco tempo, o juiz respondia pela 27ª Vara Civil de Fortaleza. No último dia 8, ele foi nomeado para a 35ª Vara.

    Por ter descumprido a Lei Seca, o juiz teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) apreendida. Também foi aplicada multa de R$ 952.

    O presidente do Tribunal de Justiça deve decidir ainda esta semana quais procedimentos legais serão tomados com relação ao caso.

    segunda-feira, 4 de abril de 2011

    Empreiteira alerta para risco da ponte Hercílio Luz desabar

    A estrutura está em reforma desde o governo de Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e o custo da obra é de R$ 170 milhões  
    Crédito: Fabrício Escandiuzzi/Especial para Terra   
    A ponte Hercílio Luz, principal cartão postal de Santa Catarina





















    A ponte Hercílio Luz, principal cartão postal de Santa Catarina e que vem sendo restaurada pelo governo estadual, estaria sob risco de desabamento desde 1982. A afirmação é do presidente do Departamento de Infra-Estrutura do governo (Deinfra), engenheiro Paulo Henrique Meller, que alerta para o comprometimento de três das quatro rótulas de sustenção da estrutura.

    O caso ganhou forte repercussão nesta segunda-feira depois que responsáveis pela empreiteira que coordena a restauração falaram sobre o possível risco de queda da ponte. A estrutura está em reforma desde o governo de Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e este ano o atual governador, Raimundo Colombo (DEM), declarou que os custos da reforma, avaliados em R$ 170 milhões, seriam muito elevados.

    "Nenhum engenheiro que conhece a estrutura da ponte pode garantir com segurança que ela não vá cair", disse o presidente do Deinfra, afirmando que desde 1982, ano em que a ponte foi interditada, relatórios apontavam para problemas no local. "Há 29 anos foi proibido o tráfego de veículos e retirados os sobrepesos, como a capa asfáltica. Em relação à carga, a ponte está confortável. Relatórios daquela época já apontavam esse risco", disse Paulo Henrique Meller.

    Apesar da declaração, Meller disse que o quadro não seria "alarmante". Segundo o engenheiro, o problema ocorre nas rótulas de sustentação, que se tornaram mais desgastadas em função do tempo. "As torres centrais estão em cima de quatro rótulas, projetadas para balançar. Três delas apresentam excesso de corrosão e se tornaram mais rijas", disse.

    O projeto de restauração se encontra em uma das fases mais complexas. Uma nova estrutura está sendo montada no mar para sustentar o vão central enquanto a ponte é recuperada. No orçamento de 2011, foram dispobilizados R$ 14 milhões para a restauração. O presidente do Deinfra garantiu que os recursos para os estaqueamentos e alterações no vão central estão garantidos, mas afirmou que está tentando buscar investidores para recuperar a construção da década de 1920.

    Fonte: Fabrício Escandiuzzi/Terra

    Trecho da Anchieta ficará bloqueado a partir de amanhã

    A subida da serra será feita somente pela rodovia dos Imigrantes  

    A rodovia Anchieta vai ficar bloqueado para obras a partir desta segunda-feira (4), entre o km 40 e o km 55. Nesse período, a subida da serra será feita somente pela rodovia dos Imigrantes. Aos finais de semana e feriados as obras serão interrompidas.

    O pavimento do trecho serão realizados de segunda a sexta-feira, a partir das 6h e exigirão a interdição total da pista norte até o dia 3 de junho e da pista sul do dia 4 a 17 de junho.

    De acordo com a Ecovias, o alto tráfego de veículos pesados, a estrutura antiga e as condições climáticas e geométricas adversas, fizeram com que o trecho de serra da via Anchieta apresentasse maior desgaste no pavimento em todo o Sistema Anchieta-Imigrantes. Por dia, chega a passar mais de 15 mil caminhões em direção ao Porto de Santos ou no sentido capital.


    Todo o trecho será novamente revestido com asfalto borracha, que é 40% mais resistente que o convencional, permite maior aderência entre veículo e o pavimento, e reduz o “spray” provocado pela água nos dias de chuva. Para a sinalização de solo, será utilizada pintura mais resistente às chuvas e ao desgaste provocado pelos veículos pesados.


    Para agilizar a realização dos trabalhos, duas equipes trabalharão simultaneamente.



     
    Fonte: R7


    Um ano depois, nova Marginal Tietê ainda tem falhas na sinalização


    Foto: André Lessa/AE 
    Acidentes na Marginal do Tietê diminuíram após a finalização das obras de ampliação  
    Acidentes na Marginal do Tietê diminuíram após a finalização das obras de ampliação

    Isabella Ayub

    Já faz um ano que as obras da Marginal Tietê foram concluídas e a pista central foi inaugurada, mas os motoristas ainda reclamam de falhas na sinalização na avenida.

    A repórter da Rádio Sul América Trânsito Adriana Cimino, que acompanha o trânsito nas ruas diariamente, comenta que muitos motoristas ainda ficam confusos e inseguros em utilizar a via.

    “As pessoas têm medo de usar essa pista central, porque em vários momentos ela dá acesso à Rodovia dos Bandeirantes, à Dutra, à Anhanguera, então muita gente acaba se perdendo”, explica.

    Embora cerca de R$ 24 milhões tenham sido investidos na sinalização na região, essa é a questão que ainda mais irrita os motoristas.

    “Tem também a questão da falta de atenção, porque quem não pegar a última saída acaba caindo na rodovia e então tem que ir e voltar tudo”, conta Adriana.

    Porém, de acordo com Pedro da Silva, diretor de Engenharia de Trânsito da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A), órgão responsável pela reforma da Marginal Tietê, a sinalização da avenida está quase completa.

    “Em termos de sinalização estamos com ela praticamente concluída. Falta apenas o trecho em frente ao Anhembi, o trecho da Ponte Estaiada com conexão com a Avenida do Estado. Mas nos outros 23 km ela já está finalizada”, afirma.

    Para Pedro, a confusão dos motoristas não está relacionada à sinalização, mas ao fato de eles ainda não estarem acostumados com a nova configuração da Marginal.

    “Existe uma comunicação entre as três pistas, tanto da expressa para a central quanto da central para a local. As pessoas que estão na expressa e querem ir para a local se confundem, porque as pistas ficaram muito distantes uma da outra. A placa está lá, mas conforme o motorista for se habituando ao uso, vai saber onde entrar”, explica.

    Resultados

    De acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), as obras da Marginal Tietê tiveram um impacto positivo no trânsito.

    Comparando as médias de lentidão registradas no segundo semestre de 2009 com o segundo semestre de 2010, houve melhora de 22% nos índices de lentidão em toda a cidade de São Paulo, que passaram de 72,9 km para 56,9 km, das 7h às 20h.

    Ainda segundo a companhia, houve melhorias também no número de acidentes da via depois da ampliação das pistas: entre abril e setembro de 2009, a CET registrou 375 acidentes com vítimas e 274 acidentes envolvendo motos na Marginal Tietê.

    Entre abril e setembro de 2010 houve um decréscimo de 16,3% na quantidade de acidentes com vítimas (314 ocorrências) e de 28,8% de acidentes envolvendo motos (195 ocorrências).



    domingo, 3 de abril de 2011

    Prefeitura passa a atuar na Lei Seca para reprimir táxis piratas


    Fiscais da SMTR participaram de operação conjunta na Glória e na Lagoa

     POR MARCELLO VICTOR

     

    Rio - Agentes da Operação Lei Seca passaram a contar com um reforço nas operações de repressão ao consumo de álcool a motorista e no cumprimento das normas de trânsito. Desde a noite desta sexta-feira, agentes da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) passaram a participar da operação, com o objetivo de verificar as condições de táxis que circulam pela cidade do Rio de Janeiro e reprimir os chamados piratas.
    Agentes e fiscais atuaram juntos em duas barreiras da Operação Lei Seca, entre a noite de sexta-feira e a madrugada de sábado. Até 1h30, 13 táxis tinham sido fiscalizados na na Avenida Beira-Mar, em frente ao antigo prédio da TV Manchete. Nenhuma irregularidade tinha sido encontrada. Já na Avenida Epitácio Pessoa, na Lagoa, dos 10 táxis fiscalizados, um teve que ser lacrado. Segundo o coordenador operacional da SMTR, major Leonarde Santana, o veículo estava com os pneus em má estado de consevação.
    "Num trabalho de fiscalização desenvolvido há um ano, mais da metade dos táxis fiscalizados tinha algum tipo de irregularidade. Neste início de operação em conjunto com o governo do Estado verificamos uma melhora parcial de 100%", disse o major. Ainda segundo ele, além dos táxis, vans e ônibus também podem ser parados durante a operação.
    Os taxistas que infringirem alguma das normas da SMTR terão o Cartão de Identificação de Auxiliar de Transporte (Ciat) recolhido. Após resolver o problema eles terão que passar por uma vistoria na gerência do órgão, na Estrada do Guerenguê, em Jacarepaguá.
    Para o coordenador da Operação lei Seca, major Marco Andrade, a parceria com a SMTR vai garantir um serviço de melhor qualidade para os usuários dos táxis na cidade do Rio de Janeiro. Além de verificar a validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e realizar o teste do etilômetro, as condições de regularização dos táxis poderá ser fiscalizada mais de perto. Segundo Andrade, já foi verificado um aumento no volume táxis que passaram a circular à noite.
    Há quatro anos na profissão, o taxista Ananias Tuzi, de 47 anos, que prefere trabalhar à noite, aprovou a parceria. "Acho 100% válido. Ainda mais quando se fala em coibir os táxis piratas". Ele foi liberado após passar pelo teste do etilômetro e da apresentar a documentação do carro e a CNH. Nenhuma irregularidade foi encontrada.


    Rodovias Imigrantes e Anchieta estão saturadas

    Fábio Munhoz
    Do Diário do Grande ABC

















    As obras para recuperação do pavimento da Via Anchieta, que começam segunda-feira, irão atrapalhar ainda mais o tráfego de veículos entre o Planalto e a Baixada Santista. A pista Norte (subida) ficará fechada até o dia 3 de junho, enquanto a Sul (descida) será interditada entre os dias 4 e 17 de junho. Em ambas, as obras serão executadas entre o Km 55 e o Km 40. Durante o período de obras, as pistas serão liberadas nos fins de semana e feriados.
    Para o coordenador do curso de Logística Nacional e Internacional da Fundação Santo André, José Robison Paiuca, o Sistema Anchieta-Imigrantes já está saturado e não tem condições de absorver toda a demanda de veículos, em especial os de carga. "As dez pistas do sistema não são suficientes. O ideal seria um investimento no transporte ferroviário entre o Interior e o porto, o que agilizaria o transporte e reduziria custos", explicou o professor. Segundo a Ecovias, cerca de 15 mil caminhões trafegam diariamente pela Anchieta.
    A equipe do Diário percorreu ontem toda a extensão da Via Anchieta, de São Paulo a Santos. O principal problema constatado na via são os caminhões que desrespeitam a legislação e trafegam pela faixa da esquerda.
    No trecho de serra, as blitze da Polícia Militar Rodoviária são intensificadas, o que obriga os veículos pesados a seguirem pela direita. Nos metros que antecedem os postos policiais são formados gargalos de motoristas que não querem ser flagrados trafegando de forma irregular.
    DESLIZAMENTOS
    Ao longo do traçado, são vistos pontos onde a terra deslizou e ameaça invadir a pista. A concessionária diz ter conhecimento do problema. "A Ecovias realizada sistematicamente inspeções, manutenções e correções nas encostas. Esse trabalho envolve mais de 120 profissionais da área de engenharia da empresa." A Ecovias afirmou também ter equipe especializada para fazer os reparos necessários.

    Telefones para emergência apresentam problemas

    Os motoristas que utilizam a Via Anchieta precisam recorrer ao celular para se comunicar em caso de emergência. Isso porque telefones de SOS, espalhados ao longo do traçado da rodovia, apresentam defeitos e impedem a comunicação com a concessionária.
    A equipe do Diário testou dez equipamentos, escolhidos aleatoriamente em diversos pontos da estrada. Destes, apenas dois funcionavam. Alguns telefones apresentam sinais de deterioração, como ferrugem e partes destruídas por vândalos.
    Outro problema é que o aparelho só pode ser utilizado para comunicação com a Ecovias. Ou seja, se o usuário precisar pedir auxílio à Polícia Militar, o aparelho não permite.
    Em nota, a concessionária informou que "realiza manutenção preventiva diária em todos os telefones de emergência do sistema e passa por auditorias quinzenais pela Artesp (Agência Reguladora de Transportes de São Paulo)". A empresa diz que um dos equipamentos, no Km 33, foi vistoriado ontem, apresentou problemas na fibra ótica e será consertado em breve.

    Pedestres se arriscam para atravessar rodovia em Cubatão 

    Moradores de favelas próximas à Via Anchieta se arriscam para atravessar a rodovia sem utilizar a passarela. A equipe do Diário permaneceu por cerca de dez minutos na favela Cota 200, localizada na altura do Km 50.
    Um dos moradores que decidiram fazer a travessia pelo chão é o vendedor Antônio Celestino da Silva, 33 anos. Embaixo da passarela, Silva diz ter "preguiça" de subir ao elevado. "É perigoso atravessar aqui. Eu mesmo já vi vários acidentes. Mas demora muito subir a passarela. Então, resolvo me arriscar por aqui mesmo", afirmou.
    A travessia irregular é feita por ciclistas, mulheres, idosos e crianças.
    Na favela Cota 95, na altura do Km 53, a implantação de uma grade no guard-rail central impede a travessia. O alambrado chega a quase dois metros de altura.
    "Depois que colocaram a grade não teve mais atropelamentos aqui. Mas antes, era direto. Principalmente nos feriados, quando o povo está todo na rua e a rodovia é mais movimentada", disse o técnico de manutenção Willian Costa, 33.
    Para ele, o principal problema do bairro é quando a pista de subida é invertida. "Temos de pegar um ônibus em Cubatão e descer na Imigrantes para chegar aqui", lamentou.